Colors: Red Color

Nesta segunda-feira, 20 de janeiro, o Brasil comemora o Dia Nacional do Farmacêutico. Na campanha em homenagem aos 221,2 mil profissionais que atuam em 160,6 mil empresas e estabelecimentos da área farmacêutica do país, além de 637 instituições de graduação na área, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) escolheu celebrar a faceta mais bonita dessa profissão, o amor desses profissionais pela vida e sua dedicação ao cuidado com o bem-estar das pessoas. Atuando em 10 grandes áreas e 135 especialidades diferentes (veja a lista aqui), o farmacêutico é, provavelmente, o profissional da saúde mais presente no cotidiano das pessoas.

Não por acaso, os farmacêuticos vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho. A profissão está entre as dez com as maiores taxas de ocupação do Brasil. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) da Secretaria do Trabalho, referentes ao primeiro trimestre de 2019, a profissão foi a segunda de nível superior que mais gerou novos empregos com carteira assinada no Brasil nesse período (para ler, clique aqui). Em 2018, a Farmácia já havia se destacado ao figurar na terceira colocação no ranking (leia mais). 

As estatísticas refletem o crescimento do mercado. De acordo com a pesquisa “Panorama do Mercado Farmacêutico Brasileiro, Tendências & Oportunidades”, realizada em 2019 pela empresa IQVIA, que atua na área de tecnologia e informação no segmento da saúde, o Brasil é o 6º maior mercado farmacêutico do mundo. A dimensão dos números que levaram o país a essa posição no ranking pode ser avaliada pela movimentação financeira do varejo do setor, que foi de cerca de R$ 119 bilhões entre setembro de 2018 e setembro de 2019.

“Mesmo que a categoria ainda não tenha alcançado toda a valorização que almejamos, vejo um futuro promissor, no qual a farmácia clínica será o diferencial”, afirma o presidente do CFF, Walter da Silva Jorge João, que reconhece o farmacêutico como o profissional da saúde com maior conhecimento sobre medicamentos. Em sua avaliação, independentemente da área escolhida, o farmacêutico do futuro deverá ser um profissional cada vez envolvido no cuidado direto ao paciente e o CFF tem procurado respaldar a categoria para que ela entre em sintonia com o movimento clínico em curso no país. O projeto Cuidado Farmacêutico é um exemplo de ação do conselho nesse sentido. Voltado à capacitação para a implantação do consultório farmacêutico e dos serviços em farmácias comunitárias, o curso já contemplou mais de 3,2 mil farmacêuticos de farmácias públicas e privadas.

Walter Jorge João lembra que a expansão da farmácia clínica no varejo farmacêutico tem ajudado a dar mais destaque para a profissão. De acordo com a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), 2,9 mil farmácias possuem salas e consultórios em operação e mais de 8 mil farmacêuticos das redes estão focados neste atendimento. O modelo de prática também se apresenta como alternativa para os estabelecimentos independentes.

“Certamente, a farmácia clínica é uma tendência mundial e, no Brasil o campo de atuação é crescente, com a maior longevidade da população e o consequente crescimento na incidência de doenças crônicas”, defende. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), os idosos já representam 13% da população brasileira e a estimativa é que o índice dobre nas próximas décadas.

Como desafios a serem vencidos, o presidente do CFF destaca a luta no Congresso Nacional, contra Projetos de Lei que ameaçam a profissão. Entre esses, ele cita os da liberação da venda de medicamentos em supermercados e os que instituem a figura do farmacêutico remoto. São projetos de lei já sepultados algumas vezes graças à ação do CFF e demais entidades ligadas à Farmácia, mas que sempre são reinseridos na pauta.

O Congresso Nacional também tem sido palco da atuação do conselho por melhores remuneração e condições de trabalho para o farmacêutico (PLs do piso salarial e jornada máxima de 30 horas) e em favor da qualidade da assistência à saúde, contra a expansão do ensino a distância (EaD) nos cursos de graduação. Outras demandas prioritárias são a consolidação da atuação do farmacêutico na saúde estética, tanto por meio da aprovação de projetos de lei, quanto pela defesa da profissão no âmbito jurídico, e a atualização das tabelas do SUS e dos convênios para os exames clínicos-laboratoriais.

“Necessitaremos de sabedoria, expertise e união para lograr total êxito nas lutas por melhorias e contra essas ameaças à profissão farmacêutica e à saúde pública”, comenta o presidente do CFF, conclamando a categoria a se engajar nessas lutas.

 

I CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR FASP/ISE (I CONINFI)

 

CLICK AQUI E INSCREVA-SE
 

.

APRESENTAÇÃO

A Faculdade São Francisco da Paraíba – FASP e o Instituto Superior de Educação de Cajazeiras – ISEC
são realizadoras dos eventos abaixo nomeados que, em conjunto, compõem o . – I CONINFI

.
O I CONINFI FASP/ISEC objetiva promover a discussão a partir de uma perspectiva interdisciplinar, com
ênfase na interseção entre Administração, Direito, Educação Física, Enfermagem, Farmácia,
Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia, Pedagogia e Tecnólogo em Construção de Edifícios. Dentro do I
CONINFI haverá também o I Colóquio Internacional de Investigação Científica FASP/ISEC – I COLIIC.

DOS EVENTOS

I CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR (I CONINFI) E I COLÓQUIO
INTERNACIONAL DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA (I COLIIC) FASP / ISEC.

DOS FÓRUNS DO I CONINFI FASP/ISEC

O evento contará com a modalidade de fóruns de discussão, que sejam: I Fórum Paraibano de
Administração; I Fórum Paraibano de Construção em Edifícios; I Fórum Paraibano de Direito; I Fórum
Paraibano de Educação Física; I Fórum Paraibano de Enfermagem; I Fórum Paraibano de Ciências
Farmacêuticas; I Fórum Paraibano de Fonoaudiologia; I Fórum Paraibano de Nutrição; I Fórum
Paraibano de Ciências Odontológicas; e I Fórum Paraibano Pedagogia.
I COLIIF FASP/ISEC

O I Colóquio Internacional de Investigação Cientifica (I COLIIF) destina-se ao docente da FASP/ISEC e
de outras IES ebjetiva discutir aspectos relevantes em torno da temática da investigação científica.

OBJETIVO GERAL

O CONINFI/COLIIC – FASP/ISEC tem por objetivo principal promover o intercâmbio de pesquisadores
nas áreas de Saúde, Educação e Ciências Humanas. Além disso, oportunizar um espaço para discussão
sobre pesquisa, valorizando a pluralidade de idéias e a relação entre teoria, prática e vivência da extensão
acadêmica.

FORMATO E DINÂMICA DO CONGRESSO

I. Fórum
II. Painéis
III. Apresentação de trabalhos científicos e resumos expandidos
IV. Oficinas
V. Palestras
VI. Workshops

3

Apoio Científico:

FACULDADE SÃO FRANCISCO DA PARAÍBA – FASP
INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE CAJAZEIRAS – ISEC
I CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR – CONINFI
I COLÓQUIO INTERNACIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA – COLIIF

PROGRAMAÇÃO GERAL

VII. Publicação de obra científica
VIII. Publicação de anais
Público-Alvo: Professores, pesquisadores e estudantes, profissionais das várias áreas interessadas,
especialmente da Saúde, Educação e Ciências Humanas.
INSCRIÇÕES

As inscrições devem ser realizadas por meio do sistema da FASP/ISEC ou na sede da instituição nos
horários das 7h00min às 11h00min, das 13h00min às 17h00min, das 18h30min às 22h00min.
Taxa de inscrição
Período de inscrição Valor (R$) Categoria
07/10/2019 a 30/10/2019
1o lote

110,00 Estudantes
120,00 Profissionais

01/11/2019 a 15/11/2019
2o lote

130,00 Estudantes
150,00 Profissionais

16/11/2019 a 18/11/2019
3o lote

140,00 Estudantes
160,00 Profissionais

Observações importantes:
1. O professor da FASP/ISEC que participar das atividades do evento (minicursos, palestras, painéis,
coordenação das atividades etc.), tem direito a inscrição no CONINFI 2019.
2. A realização da inscrição pelos estudantes na Secretaria da FASP custa R$ 100,00 até o dia
30/10/2019; R$ 120,00 até 15/11/2019; e R$ 130,00 até 18/11/2019. A realização da inscrição
pelos profissionais na Secretaria da FASP custa R$ 110,00 até o dia 30/10/2019; R$ 140,00 até
15/11/2019; e R$ 150,00 até 18/11/2019.
3. O professor/pesquisador externo participante do evento na qualidade de avaliador ad hoc (membro
do comitê científico) tem direito a 50% no valor da inscrição do Congresso.
CARGA HORÁRIA TOTAL DO EVENTO

O CONINFI 2019 FASP/ISEC emitirá certificação com carga horária total de 45 horas para os
participantes do evento (estudantes, pesquisadores e profissionais), respeitando-se a assiduidade das
atividades da programação do evento.
Para os docentes irão participar do I COLIIF (atividades apenas para os docentes da FASP/ISEC a
organização do evento emitirá a certificação com carga horária também de 16 horas).
O que distingue essas modalidades são as especificidades

Entre os vários temas que estão sendo abordados na 12ª edição da Semana Farmacêutica da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), que está sendo realizada desde segunda-feira (19) e se encerra nesta quinta (22), no Departamento de Farmácia da Instituição, no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande, a atuação do profissional farmacêutico foi o destaque das atividades na tarde desta terça-feira (20).

A presidente do Conselho Regional de Farmácia da Paraíba (CRF-PB), Cila Estrela Gadelha de Queiroga, abordou a temática destacando as mudanças na profissão, ocorridas principalmente nos últimos oito anos, e enfatizou a importância do profissional farmacêutico entender bem as leis de sua área, porque elas interferem direta e indiretamente em sua atuação.

Ela ressaltou que o campo farmacêutico é dinâmico e lembrou que ninguém conhece mais sobre medicamentos do que o profissional farmacêutico. “O médico entende de patologias, mas é o farmacêutico que conhece todo o processo orgânico dos efeitos dos medicamentos no corpo humano. Os conhecimentos farmacêuticos sobre os mecanismos de ação, metabolismo, distribuição, excreção, efeitos fisiológicos e farmacológicos sobre o corpo humano, torna o profissional um especialista em produtos farmacêuticos com uma importante função nos resultados esperados pelos pacientes”, frisou.

Cila ainda fez uma abordagem histórica sobre o campo farmacêutico, lembrando que o primeiro curso de Farmácia no Brasil foi criado em 1832, no Rio de Janeiro, e que somente em 1931 a profissão foi regulamentada por lei, sendo os conselhos federal e regionais criados apenas em novembro de 1960, pela Lei 3.820/60.

A presidente do CRF-PB destacou, ainda, que os conselhos zelam pela fiel observância dos princípios da ética e da disciplina da classe dos que exercem atividades profissionais farmacêuticas no país, mas vêm sofrendo ataques, como os conselhos de classes em geral que enfrentam interesses das grandes indústrias e a intenção do governo federal de acabar com as entidades. “É bom que fique claro que o governo federal não repassa nenhum centavo de recursos financeiros para os conselhos de classe, mas quer acabar com eles em benefício da indústria farmacêutica que só cresce, mesmo em cenário de crise, e pressiona por medidas que as livrem de responder por irregularidades identificadas em fiscalizações dos conselhos”, afirmou Cila.

Conforme informado pela farmacêutica, somente em 2018 foram realizadas mais de 7 mil fiscalizações farmacêuticas na Paraíba. Cila lembrou que o grande objetivo da indústria do setor é comercializar medicamentos como se fosse um produto de supermercado, onde qualquer um tem acesso. Isso, segundo ela, é um grande risco para a população, pois permitiria o uso indiscriminado de medicação e, consequentemente, traria graves problemas para a saúde das pessoas, inclusive com risco de morte. “Como os conselhos combatem essas práticas, eles não são bem-vindos aos olhos do mercado farmacêutico que prioriza o lucro acima da segurança em saúde da população”, avaliou a presidente do CRF-PB.

A 12ª edição da Semana Farmacêutica da UEPB está reunindo estudantes, professores e pesquisadores para debater temas relacionados às atividades de ensino, pesquisa e extensão da área farmacêutica. A participação é gratuita. Nesta quarta-feira (21) será realizada uma apresentação da estrutura organizacional da UEPB e os programas existentes na Instituição. A coordenadora do evento, professora Maria do Socorro Ramos de Queiroz, o PET Farmácia e o Centro Acadêmico do curso serão os responsáveis por esta abordagem, que terá início às 15h.

Encerrando as atividades do evento, na quinta-feira (22), às 10h, será promovida a palestra “Novos sistemas de liberação controlada”, com João Augusto Oshiro Júnior. Podem participar destas atividades estudantes de todos os períodos que estejam devidamente matriculados no curso. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone (83) 3315-3496.

Texto e fotos: Tatiana Brandão

 

 

Futuros eventos

Nenhum evento encontrado

As mais lidas

  • Semana

  • Mes

  • Todas