Essa e outras perguntas fazem parte da pesquisa ‘Parâmetros dos Medicamentos Termolábeis’. Contamos com a sua contribuição, farmacêutico (a). 
 
Sua participação é fundamental para que possamos entender melhor o funcionamento da cadeia fria e, assim, traçar estratégias de melhoria neste ciclo, além de propor mudanças na legislação atual relativa aos parâmetros de controle de produtos termolábeis. Essa pesquisa que irá estruturar um panorama atual da cadeia fria no Brasil, com o objetivo de propor parâmetros para o monitoramento térmico durante os processos de conservação dos produtos acabados.
 
O questionário terá duração aproximada de 02 (dois) minutos e contém perguntas objetivas. É importante que você, que irá participar, leia com atenção todas as perguntas e as responda com verdade. 
Agradeço sua participação nesse processo.
Para participar, basta acessar o link na Bio do pesquisador principal @tdouberin.

À disposição.
Thiago Douberin
Mestrando do Programa de Pós Graduação em Ciências Farmacêuticas na  Universidade Federal de Pernambuco.
Farmacêutico
CRF PE 4176
(81) 99671-7806

Os profissionais farmacêuticos da Paraíba  tiveram um final de semana bastante movimentado. Intensas ações de capacitação e qualificação estiveram presentes na agenda dos farmacêuticos da Paraíba. 
Paralelamente, aconteceram atividades nas cidades de João Pessoa e Campina Grande. Na Capital, foi realizado o mais novo  projeto do Conselho Federal de Farmácia, denominado 1º Meeting Paraibano de Farmácia Hospitalar e Farmácia Clínica. Ainda em João Pessoa, a agenda de trabalho contou com uma abordagem sobre Gestão de Resultados: pessoas processos e conflitos, desenvolvida pela consultora em Negócios, Luciene Scherer. Na Rainha da Borborema, aconteceu o 3º Módulo do Projeto Cuidado Farmacêutico na Farmácia Comunitária.

1º Meeting Paraibano de Farmácia Hospitalar e Farmácia Clínica

O Conselho Regional de Farmácia da Paraíba (CRF-PB), em parceria com o Conselho Federal de Farmácia (CFF) e SBFC- Sociedade Brasileira de Farmácia Comunitária,  promoveram, neste final de semana em João Pessoa-PB, o novo projeto do CFF. Trata-se do 1º Meeting Paraibano de Farmácia Hospitalar e Farmácia Clínica. 
O evento contou com a presença de dezenas de farmacêuticos e diversos temas ligados ao mundo profissional foram abordados, a exemplo de atividades voltadas para a capacitação e aprimoramento dos conhecimentos dos farmacêuticos. 
Os trabalhos tiveram início com uma Conferência Magna, cujo tema abordado foi o (Re)nascimento da Clínica, Na sequência, os temas propostos passaram pelos mais variados debates, como a Superação dos Desafios da Comunicação, Melhoria Contínua em Farmácia Hospitalar, Marketing Pessoal, Abordagem e Avaliação das Tecnologias em Saúde, Comunicação Como Ferramenta Para o Cuidado Farmacêutico, entre outros assuntos.

Projeto Cuidado Farmacêutico na Farmácia Comunitária
 

O 3º Módulo do Projeto Cuidado Farmacêutico na Farmácia Comunitária, Gestão e Marketing, foi realizado na Escola Superior de Aviação Civil - ESAC, na cidade de Campina Grande-PB, nos dias 19 e 20 de julho.

O Projeto de Capacitação, fruto de uma parceria entre o CFF, CRF-PB e UNIFACISA, foi aplicado pelo Professor Amilson Álvares, membro do Grupo de Trabalho de Farmácia Comunitária do Conselho Federal de Farmácia.

"Atividades desse nível só tem a somar no mundo farmacêutico paraibano. Esse é um trabalho que o CRF da Paraíba desenvolve constantemente, visando aprimorar e aperfeiçoar o trabalho farmacêutico, por meio de capacitações e qualificações que facilitam nossa atividade e beneficiam a população como um todo", destacou Cila Gadelha, presidente do CRF-PB.

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) faz alerta sobre a atuação de médicos estrangeiros em farmácia.

A entidade lembra que a responsabilidade técnica das lojas é exclusiva do farmacêutico e é proibido o funcionamento de consultórios médicos dentro desses estabelecimentos. O alerta, emitido na última sexta-feira (17), oficiou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que notifique às Vigilâncias Sanitárias dos estados e municípios para que fiscalizem e coíbam a ocorrência dessas infrações. O CFF também emitiu circular a todos os conselhos regionais que estejam atentos e colaborem com os órgãos de vigilância sanitária denunciando essa prática irregular, a exemplo do que já fazem em relação a outras irregularidades.

“Os conselhos de farmácia não vão permitir a usurpação do âmbito de atuação dos farmacêuticos e muito menos que seja desrespeitada a autoridade técnica desses profissionais, que é assegurada por meio da Lei nº 13.021/14”, destacou o presidente do CFF, Walter Jorge João.

As medidas estão sendo adotadas após o próprio dono de uma rede de farmácias postar um vídeo em redes sociais onde informa que uma médica cubana contratada de uma de suas unidades estaria prestando atendimento aos pacientes, apesar de o estabelecimento contar com duas farmacêuticas.

A atuação clínica dos médicos estrangeiros/cubanos dentro das farmácias infringe uma série de normas, entre as quais as leis federais nº 5.991/73 e 13.021/14, além dos Códigos de Ética Farmacêutica e de Ética Médica. É importante lembrar que os médicos cubanos não podem atuar como médicos fora do Sistema Único de Saúde (SUS) sem se submeterem ao Revalida, exame exigido no Brasil para o registro de diplomas médicos emitidos por instituições de ensino estrangeiras.

Portanto, dizer que a farmácia conta com um médico estrangeiro para atender seus pacientes configura, ainda, propaganda enganosa, conforme previsto no Código de Defesa do Consumidor. Fonte: CFF Foto: Shutterstock

Página 1 de 4

Futuros eventos

Nenhum evento encontrado

As mais lidas

  • Semana

  • Mes

  • Todas