Notícias
Domingo, 26 Junho 2016 19:03

"NOTA DE REPÚDIO" Leiam e ouçam, sobre a comparação absurda que o nosso Ministro da saúde, Ricardo Barros, fez...

Escrito por
Avalie este item
(1 Voto)

O Conselho Regional de Farmácia do Estado da Paraíba, vem a público manifestar sua indignação com a declaração, onde, o ministro demonstra seu desconhecimento sobre a área que comanda no governo federal ao se manifestar de forma preconceituosa e desrespeitosa contra uma categoria que reúne mais de 200 mil profissionais no país, atuando nas mais diferentes áreas.

Somos uma categoria de profissionais de saúde, de nível superior, com compromissos e condutas a serem cumpridas. Lutamos ao longo de décadas para garantir que a saúde seja, efetivamente, uma área de atuação multidisciplinar, onde cada profissão cumpre um papel que é complementar à outra, inclusive a do médico. No caso do farmacêutico, nosso foco de trabalho é o medicamento e a correta orientação para que o seu uso seja racional.

As ações interdisciplinares de promoção da saúde, como preconizam as diretrizes do SUS, devem ter como foco o paciente e não a doença.

Outrossim, não podemos deixar de registrar que os saberes milenares ligados à cultura popular também merecem o seu devido respeito, pois são muitas vezes a única esperança de milhares de brasileiros que ainda não têm acesso ao SUS. Disso decorre nossa luta incansável e inabalável para impedir retrocessos nas políticas públicas de Saúde, duramente conquistadas pela sociedade nos últimos anos. A defesa intransigente do Sistema Único de Saúde, de sua ampliação e do seu fortalecimento para levar saúde de qualidade a todos e todas é estruturante.

 

" O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse nesta sexta-feira (24), em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, que prefere ter médicos cubanos do que farmacêuticos ou benzedeiras atuando em locais de difícil acesso no país.

"Se tiver algum ponto em que médicos brasileiros não queiram ir, teremos lá um médico cubano. É melhor ter um médico cubano do que um farmacêutico ou uma benzedeira", comparou o ministro, em visita oficial ao Paraná, estado onde nasceu e construiu carreira política....

 

NF2

 

 

 

Lido 1305 vezes Última modificação em Segunda, 27 Junho 2016 20:25

Mídia

"Se tiver algum ponto em que médicos brasileiros não queiram ir, teremos lá um médico cubano. É melhor ter um médico cubano do que um farmacêutico ou uma benzedeira"

nuidde

+ Notícias